• Bambuí, 18 de Janeiro de 2022

Ex prefeito de Piumhi MG morre aos 75 anos.

Foto: Folha da Manhã
Morreu na manhã de ontem no Hospital Felício Roxo, em Belo Horizonte, o empresário e ex-prefeito de Piumhi, Otacílio Gonçalves Tomé, aos 75 anos, vítima de falência múltipla de órgãos. O corpo de Tatá Tomé, como era mais conhecido, veio da capital mineira e chegou à cidade por volta das 14h desta segunda-feira, seguindo em cortejo para o campus da Faculdade do Alto São Francisco de Piumhi (Faspi), onde acontece o velório. O sepultamento será nesta terça-feira, dia 19, em horário ainda a confirmar. Tatá era casado com Amália Darcy Gonçalves Tomé, pai de João Tomé, Simone e Ana Cristina e tinha quatro netos. O empresário foi um homem que nunca mediu esforços para concretizar seus sonhos e desejos. Desde criança participava dos grupos de bairro e destacava-se como jogador do Atlético Piumhiense. Aos 14 anos foi estudar em um internato na cidade de Formiga, e por lá permaneceu até concluir o primeiro grau. Em 1956 seguiu rumo a Belo Horizonte, e foi na capital mineira que descobriu a vocação política. Naquela época, quando cursava Engenharia, o empresário fez parte de movimentos estudantis e chegou a presidir a União dos Estudantes Secundaristas de Belo Horizonte e os diretórios acadêmicos do curso que fazia. Durante o golpe de 64, foi acusado de pertencer ao Partido Comunista e acabou sendo preso, quando encontrava-se dentro da sala de aula. Por cerca de um ano, Tatá foi levado a várias prisões do Estado e teve os direitos políticos cassados por 15 anos. Depois do golpe, terminou os estudos e foi trabalhar em São Paulo. Retornou depois de dois anos e iniciou a carreira no Departamento de Estrada e Rodagem de Minas Gerais (DER) até que mais tarde, na década de 70, ele e um grupo de amigos criaram a Sitran (Sinalização de Trânsito Industrial Ltda.), uma das mais renomadas de Minas Gerais. No ano de 2000 saiu vitorioso das eleições piumhienses e durante três anos e onze meses esteve à frente do Executivo. A maior conquista do empresário foi a implantação do Ceasf/Faspi (Faculdade do Alto São Francisco de Piumhi) no ano de 2003, onde permaneceu por quase seis anos nas dependências do Perfil de Educação e oferecia os cursos de Normal Superior. Anos depois, conseguiu a vinda do curso de Direito para Piumhi, que foi reconhecido pelo MEC. Em 2009, a faculdade ganhou sede própria com espaço amplo e uma estrutura que atualmente equivalia mais de R$ 5 milhões. Tatá Tomé também era sócio-proprietário da emissora de rádio Onda Oeste FM 100,3 juntamente com o empresário Ivamar Goulart da Silva, outro grande projeto que nasceu em abril de 2009. Sua última e maior ação foi a doação do campus da Faspi para o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) em Piumhi, quando aconteceu a assinatura do convênio no dia 14 de novembro de 2012, onde será implantado um eixo acadêmico da Engenharia Civil, oferecendo além do curso superior, os técnicos de edificação e de formação continuada de pedreiros, eletricistas e técnico industrial. O processo seletivo está previsto para começar a funcionar com a formação de turmas no segundo semestre desse ano. A ação de Tatá foi recebida com grande louvor pela população que sempre reconheceu as benfeitorias realizadas em Piumhi. Durante sua fala na solenidade de doação, ele destacou: “ocupei parte do meu tempo nos últimos anos trabalhando no projeto de consolidar Piumhi como polo regional de ensino superior e a primeira etapa do meu sonho já foi concretizada. Agora percebo que a completa consolidação da educação superior na região será garantida a partir do momento em que passo a tutela e administração de toda a estrutura da faculdade à União”, pontuou o empresário.


Compartilhe: