• Bambuí, 26 de Janeiro de 2020

Firmino Júnior: Todo dia é dia!

Foto: Divulgação

O Dia das Mães passou e o resto do ano continua. Todos os dias as maravilhosas mamães levantam cedo, arrumam as crianças para a escola, ajeitam a casa, fazem almoço, trabalham fora, cuidam do marido, não necessariamente nessa ordem. Enfim, dizer que mãe é super-heroína parece clichê, mas com esse dia a dia não há como negar seus inúmeros poderes.

Considerando a vida dessas mulheres incríveis que abriram mão de sua vida para exercer o lindo ato de ser mãe, não é justo dar à elas apenas um dia no ano. Um dia em que o comércio faz propagandas para vender, um dia em que o filho compram um presente ou organizam um almoço em família preparado pela própria mãe. Dia de mãe é todo dia. É desde o início do ano até o fim, desde o início do dia até o final, dia das mães não deveria existir, deveria ser ANO DAS MÃES.

Infelizmente não é bem assim que funciona, até porque, uma mãe pouco liga para um agradecimento ou um presente. Ela quer em troca apenas carinho e amor. Apenas respeito e a felicidade do filho. Como é possível? Como pode um ser humano tão puro e incrível? Mãe é realmente um ser de outro planeta. Vejo que elas se parecem com os meus super-heróis de revista em quadrinho que vencem os mais difíceis monstros para salvar o mundo. Ela mata um leão por dia, literalmente ou não, se for para o bem estar da família.

E isso é mais ou menos uma mãe. Eu tenho até dificuldade de descrever o quanto elas são indispensáveis em nossa vida, ainda mais agora que refleti o quão pouco reconhecemos seus valor. O que é um dia de festa para uma pessoa responsável por tudo que acontece na vida de outra? O que é um dia para alguém que sequer recebe um agradecimento e mesmo assim se sente a pessoa mais feliz do mundo quando o filho faz uma visitinha rápida? Como pode haver alguém tão incrível assim no mundo? Pois bem, existe e é minha mãe, a sua e a de cada um que está aqui hoje. Se ninguém é perfeito, digo que a minha mãe é, e aposto que cada filho concorda com isso.

Então você, filho ou filha, que tal dar a essa mulher todos os dias do ano? Para uma mãe não é necessário presente ou festa, apenas um abraço, um beijo, uma ligação ou um “te amo” bastam. Façamos isso todos os dias e transformemos todo o ano mais feliz para essas mulheres que deram e dão a vida por nós! Ah, e mãe é mãe.  Mãe de criação, mãe-pai, mãe-tia, tudo é mãe. Agradeçam a quem dão a vida por vocês a cada segundo e não ligam para recompensas, e aí sim, daremos as mamães o que elas realmente merecem.

FIRMINO JÚNIOR, bambuiense, professor do Instituto Federal. Mestre em Comunicação e graduado em jornalismo. Contato: [email protected]. Colaborou neste artigo Fernanda Carla de Oliveira


Compartilhe:

COMENTÁRIOS