Fornecedor de armas de fogo para a principal organização criminosa é preso pela PC

Na manhã desta segunda-feira, dia 27, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em Campo Belo, região Oeste do estado, cumpriu mandado de prisão preventiva contra um homem, pelos crimes de posse de objetos para preparação de drogas e associação para o tráfico. Além disso, ele teria se apresentado como CAC (caçador, atirador e colecionador), motivo pelo qual também deverá responder pelo delito de falsidade ideológica.

Entenda o caso

No dia 1º de julho de 2022, no curso da operação nacional Narcos Brasil 2022, a PCMG cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do suspeito e do filho dele. Na ocasião, foram encontradas diversas anotações referentes à contabilidade do tráfico de drogas, um rádio transmissor, uma pistola calibre 40 com três carregadores, uma pistola calibre 9mm com três carregadores e uma pistola calibre 45, com quatro carregadores, 29 munições calibre 40 (deflagradas), 118 munições 9mm, 51 munições calibre 45, 58 munições calibre 40, quatro cartuchos calibre 45 (deflagrados) e 111 cartuchos 9mm (deflagrados).

Em um imóvel abandonado vizinho à residência dos suspeitos, a Polícia Civil encontrou um laboratório para o preparo de drogas, onde foram localizadas duas bacias grandes, um copo de liquidificador e uma vasilha branca, todos com resquícios de cocaína.

Na ocasião, os investigados foram presos em flagrante.

Desdobramentos

O investigado mais velho se apresentou inicialmente como CAC, fornecendo documentação que, a princípio, o legitimaria como proprietário dos armamentos. Entretanto, a PCMG realizou diversos levantamentos investigativos, apurando que as informações declaradas para a aquisição da licença eram falsas. O investigado obteve o registro sem preencher os requisitos necessários, constando diversas incongruências.

Com os elementos reunidos, a Polícia Civil concluiu que o suspeito utilizava o registro falso para fornecer armas de fogo para a principal organização criminosa atuante em Campo Belo.

O inquérito policial foi concluído com o indiciamento dos dois investigados. O homem preso, após os procedimentos de polícia judiciária, foi encaminhado ao sistema prisional.