• Bambuí, 22 de Junho de 2021

Bolsonaro diz que saúde desobrigará uso de máscara a vacinados e quem teve Covid

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou, em discurso nesta quinta-feira (10), em Brasília, que conversou com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o chefe da pasta vai "ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que foram vacinados ou já foram contaminados".

"Para tirar esse símbolo", defendeu o chefe do Executivo, com uma máscara cirúrgica na mão. Contra o consenso científico, Bolsonaro argumentou que a máscara só tem "função para quem está infectado", mas que, no protocolo do governo federal, essas pessoas deveriam "estar em casa".

"Não aquele 'fica em casa' todo mundo. A quarentena é para quem está infectado. Não é para todo mundo. Porque isso destrói empregos", continuou. No discurso, o presidente insistiu na narrativa que vem mantendo desde o início da pandemia no país, alegando que prefeitos e governadores "levaram à miséria milhões de pessoas" devido às medidas de contenção contra a Covid-19.

"O nosso governo não tirou o emprego de ninguém. O governo federal não fechou um butiquim. Sabíamos que o vírus era mortal para uma parcela da sociedade: os com comorbidades e os mais idosos. Falamos claramente que tínhamos dois problemas: o vírus e o desemprego", completou.

Os números do Ministério da Saúde informam que, até essa quarta-feira (9), o Brasil registra quase 480 mil vidas perdidas para a pandemia de Covid-19 e mais de 17,1 milhões de casos confirmados.

Ciência

A obrigação do uso de máscara em espaços e ambientes públicos, entre outras medidas sanitárias, é definida em decretos estaduais e municipais, por iniciativa de prefeitos e governadores, conforme decisão vigente do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com epidemiologistas, a população vacinada ou que já teve a doença deve continuar usando máscaras porque, mesmo imunizada, ainda pode transmitir o vírus para outras pessoas. Segundo especialistas, a desobrigação do uso de máscara só seria recomendável quando o país alcançar um número expressivo de pessoas completamente vacinadas.

Estudo

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou no início da noite desta quinta-feira nas redes sociais que recebeu o pedido do presidente para produzir um estudo sobre flexibilização do uso de máscaras. O avanço da vacinação no país teria motivado o levantamento.

"O presidente está muito satisfeito com o ritmo da vacinação no Brasil, da chegada de novas doses, da distribuição de mais de 100 milhões de doses de vacina. O presidente acompanha o cenário internacional e vê que em outros paises onde a campanha de vacinação já avançou, as pessoas já estão flexibilizando o uso das máscaras. O presidente me pediu quye fizesse um estudo para avaliar a situação aqui no Brasil", disse o ministro.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS