• Bambuí, 16 de Maio de 2021

Zema afirma que dívidas com Copasa e Cemig poderão ser divididas em até 12x por comerciantes

Foto: Agência Minas

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), informou, nesta terça-feira (20), que os comerciantes do Estado que tenham dívidas com a Copasa ou com a Cemig vão poder dividir seus débitos de luz e água sem entrada e em até 12 vezes sem juros. Zema frisou que a pandemia de Covid-19 trouxe um "momento difícil para todos nós" e que se reuniu com setores e ouviu as demandas para a tomada de decisão.

Zema se reuniu virtualmente com o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e com representantes da Fecomércio e Federaminas, com o objetivo de ouvir as demandas do comércio e buscar medidas para a redução dos impactos da pandemia no setor. Romeu destacou o esforço da gestão para minimizar os efeitos do enfrentamento da covid-19 e salvar empregos e negócios.

“Sabemos que o setor de comércio foi muito afetado e agradeço o sacrifício que todos têm feito. Corremos atrás de postergar o pagamento de impostos. A Cemig e a Copasa também foram orientadas a reverem os casos de clientes inadimplentes do setor produtivo, renegociando essas dívidas”, afirmou o Governador.

O governador lembrou ainda que as medidas restritivas impostas pela Onda Roxa foram tomadas em um momento de extrema necessidade, para restabelecer a capacidade assistencial da rede de saúde, e pediu que a reabertura aconteça de forma consciente, mantendo todos os cuidados sanitários.

“Hoje, estamos otimistas, porque aquelas regiões que entraram na onda roxa inicialmente já tiveram uma melhoria expressiva nos números, principalmente de pessoas infectadas, e já avançaram para a onda vermelha. Então, peço que as entidades orientem ao máximo o comércio nessa reabertura, para que tome todas as medidas necessárias. Com consciência, certamente poderemos operar sem sobrecarregar o nosso sistema de Saúde”, orientou Zema.

Em resposta ao Portal Imbiara o representante do grupo Comércio Forte e Unido, o empresário Sidnei Ferreira, disse que estará analisando a possibilidade junto com os comerciantes de Araxá para validar a medida como uma alternativa para sanar parte dos problemas referentes ao impacto causado pelo fechamento do setor.

“Já recebemos as informações agora vamos analisar para identificar se essa medida pode realmente contribuir com alguns empresários” comentou o empresário.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS