• Bambuí, 27 de Janeiro de 2021

Comerciantes protocolam documento questionando fechamento do comércio em Bambuí

Foto: Marco Antônio/TV Bambuí

Comerciantes se uniram e protocolaram na manhã desta segunda-feira (11), um documento na Prefeitura e na Câmara de Bambuí solicitando informações quanto ao fechamento parcial do comércio no município.

O documento exige que o município apresente o estudo cientifico que comprove que o fechamento do comercio, lockdown, elimine, restrinja ou diminua a disseminação do coronavírus.

Outro questionamento é referente aos impactos financeiros na economia local, solicitando medidas efetivas que deverão ser aplicadas no comércio local para mitigar prejuízos financeiros, legais e sociais.

Os comerciantes ainda solicitam esclarecimento sobre o plano de imunização adotado pelo município, caso haja, com a apresentação de contratos ou intensão de aquisição de vacinas.

Revolta

Grande parte dos comerciantes ouvidos pela TV Bambuí, inclusive com representantes da Associação Comercial e Industrial de Bambuí, justificam que todas as medidas necessárias para contenção do avanço da pandemia estão sendo tomados dentro dos estabelecimentos comerciais.

Alguns empresários imputam o crescimento no número de casos positivos as festas de final de ano e a falta de fiscalização quanto as festas “clandestinas” que estão sendo promovidas por toda a cidade.

“Fechar o comércio e não implantar uma fiscalização efetiva para conter e multar a realização de festas clandestinas, que todos sabemos que estão ocorrendo por toda a cidade, não irá diminuir o número de contaminações no município; O comércio não é culpado pelo aumento dos casos, mas sim a falta de responsabilidade individual das pessoas que continuam vivendo sem se preocupar com a saúde da população bambuiense” comentou um comerciante que não será identificado.

O Decreto

O decreto divulgado na última sexta-feira (08), determina que as atividades não essenciais deverão permanecer fechadas pelo período de 8 dias. A medida é uma ação devido ao retorno a Onda Vermelha do Plano Minas Consciente, do Governo do Estado de Minas Gerais.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS