• Bambuí, 26 de Outubro de 2020

Secretário que matou ex-presidente da Câmara de Patrocínio pode ter fugido para o exterior

Foto: Rádio Módulo FM Patrocínio

O ex-presidente da Câmara Municipal de Patrocínio, no Alto Paranaíba, Cássio Remis, foi assassinado a tiros na tarde desta quinta-feira (24) em frente à Secretaria Municipal de Obras. A perícia da Polícia Civil está no local e confirmou cinco perfurações.

Cássio Remis estaria denunciando o uso de funcionários da Prefeitura para construção de um calçamento numa residência da Avenida João Alves do Nascimento. Pouco antes ele teve uma desavença com o secretário de obras Jorge Marra, como mostram imagens de uma live transmitida ao vivo nas redes sociais.

A informação inicial é de que Jorge teria cometido suicídio. Porém, a Polícia Civil disse que as câmeras do 'Olho Vivo' flagraram a caminhonete de Jorge Marra deixando a cidade de Patrocínio após o assassinato do ex-presidente da Câmara Municipal Cássio Remis. O secretário de obras, que é irmão do prefeito da cidade de Patrocínio, Deiró Marra, é apontado como autor do crime. 

O veículo Hilux, de cor prata, placas OKV-7439, foi visto às 15h50 na Avenida Faria Pereira, sentido a MG-462, que dá acesso a Perdizes ou a BR-365 com acesso a Uberlândia ou Patos de Minas.

O delegado da Polícia Civil, Renato Mendonça, acredita que a informação do possível suicídio foi criada somente para tirar o foco das atenções. Ele aponta que possivelmente Jorge Marra teria fugido para algum aeroporto com destino a algum país do exterior, provavelmente o Paraguai. A polícia vai pedir a prisão preventiva de Jorge Marra ainda nesta quinta-feira.

O prefeito Deiró Marra decretou luto oficial de três dias em Patrocínio em virtude do assassinato do ex-presidente da Câmara Municipal Cássio Remis. De acordo com a Polícia Civil o crime foi cometido pelo secretário de obras e irmão do prefeito Jorge Marra.

Deiró Marra afirmou em coletiva que exonerou Jorge do cargo nesta quinta-feira, e explicou que não tem informações sobre a localização do irmão. "Só posso dizer que é uma tragédia, não tem e não terá minha aprovação. As consequências que culminaram nessa tragédia serão elucidadas pela justiça" disse o prefeito.

Ouça a entrevista do repórter Juliano Resende da Rádio Módulo FM Patrocínio com Delegado Renato Mendonça:

 


Compartilhe:

COMENTÁRIOS