• Bambuí, 16 de Dezembro de 2019

Cruzeiro perde para o Vasco, permanece no Z-4 e pode ser rebaixado já na quinta-feira

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Segue o drama do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro. Jogando no estádio São Januário, a Raposa perdeu por 1 a 0 para o Vasco, nesta segunda-feira (2), em duelo válido pela 36ª rodada da competição, e pode ser rebaixada já na próxima quinta-feira (5). O gol do time carioca foi marcado por Guarín, aos 9 minutos do primeiro tempo.

Com a derrota, o time celeste permanece na 17ª posição, com 36 pontos, dentro da zona de rebaixamento, com dois pontos a menos que o Ceará, primeiro time fora do Z-4.

Caso não vença o Grêmio, na quinta, às 19h15, em Porto Alegre, o Cruzeiro terá que torcer para que o Ceará não some os três pontos sobre o Corinthians, um dia antes, no Castelão, para não ser rebaixado à Série B com uma rodada de antecedência. Um empate do time ceareanse, aliado a uma derrota da Raposa também decretaria a queda da equipe celeste.

Mesmo com a visível entrega dos jogadores em campo, além das mudanças na escalação feitas por Adilson Batista, o que se viu do time celeste no duelo com o Vasco foi pouca coisa diferente do que já vinha sendo mostrado na pífia campanha do time no Brasileirão. Desorganização, problemas táticos e técnicos novamente foram a tônica da atuação da Raposa.

Após o apito final, o desespero de alguns jogadores celestes, que deixaram o gramado sob lágrimas, exemplificou bem a crítica situação do Cruzeiro, que vê muito próximo o primeiro rebaixamento da sua história.

O jogo

Embalado pelo apoio de seu torcedor, que compareceu em bom número a São Januário, o Vasco iniciou o duelo mostrando muita intensidade, tentando assumir o controle das principais ações ofensivas do duelo.

O gol do time carioca veio logo aos 9 minutos. Após rápido contra-ataque, Andrey serviu Guarín, que bateu de primeira, no canto direito rasteiro de Fábio para abrir o placar.

A Raposa sofreu mais um susto aos 25 minutos. Após dividida entre Cacá e Marrony, o árbitro Wilton Pereira Sampaio assinalou pênalti do zagueiro celeste.

Entretanto, após revisar o lance no VAR, Sampaio anulou a marcação.

Com dificuldades para articular os ataques, o time comandado pelo técnico Adilson Batista chegou pela primeira vez com perigo aos 34 minutos. Éderson recebeu pela direita, bateu cruzado, tentando encontrar Joel na segunda trave, mas o camaronês chegou a atrasado e não conseguiu acertar a bola.

Aos 40 minutos, Ariel Cabral cabeceou sozinho na primeira trave, após cobrança de escanteio pela esquerda, mas a bola subiu demais.

Segundo tempo

Com Fred e Marquinhos Gabriel nas vagas de Éderson e Joel, o Cruzeiro iniciou o segundo tempo com uma formação mais ofensiva, querendo ocupar por mais tempo o campo de defesa do Vasco.

A primeira chance de gol da segunda etapa veio justamente com Fred. Aos 14 minutos, David cruzou pela esquerda, o centroavante subiu mais alto que a defesa, cabeceou para o chão e viu Fernando Miguel espalmar para escanteio. Aos 20 minutos, Egídio cobrou falta da intermediária, e a bola passou com perigo ao gol do Vasco.

Com rendimento inferior no segundo tempo, em relação ao que apresentou na primeira parte do jogo, o cruzmaltino teve a primeira investida perigosa no segundo tempo aos 26 minutos. Marrony fez bela jogada individual pela esquerda, invadiu a área, tentou servir Tiago Reis, mas viu o zagueiro Léo fazer um corte providencial.

Dez minutos depois, em novo contra-ataque pela esquerda, Guarín cruzou para Tiago Reis, que cabeceou em cima da defesa celeste.

Aos 40 minutos, a melhor chance do Cruzeiro na partida. Fred recebeu na área, de costas para o gol, serviu Marquinhos Gabriel, que, de frente para Fernando Miguel, bateu cruzado, e viu a bola passar por Ezequiel e sair pela linha de fundo.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS