• Bambuí, 12 de Dezembro de 2019

Incêndio em Copacabana atinge apartamento de colecionador de arte .

O incêndio em um prédio de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, iniciado no fim da tarde desta segunda-feira (13), atingiu o apartamento do marchand e colecionador de arte Jean Boghici. Amigos dele que estavam próximo ao local afirmaram não saber a extensão dos danos às obras de arte. “Sabemos que o incêndio foi mais restrito aos quartos e as salas foram contaminadas com fumaça. Ainda não sabemos qual a extensão dos danos da fumaça nos quadros”, A mulher de Jean, a filha e os empregados estavam em casa e desceram imediatamente. "A mulher dele está preocupada com os animais, eles tinham muitos gatos. Tem 10 gatos dentro do caminhão do Corpo de Bombeiros. As obras de arte felizmente estão no seguro, não sabemos se queimou muito. Foi um incêndio grave, de grandes proporções. Se as obras tiverem sido atingidas é uma grande perda porque é uma coleção muito grande com artistas nacionais e internacionais. Tinha Di Cavalcanti e [Carlos] Vergara, por exemplo. Quanto ao incêndio só sabemos que iniciou no quarto. Moram na casa o casal e a filha”, disse Franklin Toscano, amigo do morador do prédio. Havia no apartamento obras de Tarsila do Amaral e Alexander Calder, entre outros. Junto com toda a coleção de Jean Boghic, elas iriam abrir exposição no Museu de Arte do Rio, que tinha inauguração prevista para o primeiro trimeste de 2012. Entre as obras, estaria o quadro "Samba", de Di Cavalcanti. Por volta das 20h, o trânsito na Rua Barata Ribeiro foi liberado, exceto no quarteirão no entorno do número 153, onde apenas duas faixas estão abertas para tráfego. Segundo o Corpo de Bombeiros, quatro viaturas do quartel de Copacabana foram para o local, após o chamado às 18h18. Não houve vítimas. Do lado de fora do prédio, muitos curiosos se aglomeravam. "Nossa fiscal de loja avisou que estava pegando fogo no prédio vizinho e tivemos sair correndo. O fogo se alastrou para o apartamento ao lado. O ar-condicionado explodiu e caiu, a janela caiu logo depois," disse Douglas Brito, atendente de um supermercado que fica ao lado do prédio. "Umas 18h10 eu estava passando e vi um foguinho, no ar-condicionado. A polícia chegou e ficou esperando os bombeiros. Em seguida o ar explodiu," disse Ygor Luiz de Barros, balconista de farmácia próxima ao prédio. O incêndio atingiu o 12º andar do prédio. Moradores de apartamentos entre o 9º e o 12º andar não podem ficar no prédio por falta d"água. Os outros andares estão liberados. Fonte :G1

Compartilhe:

COMENTÁRIOS