• Bambuí, 12 de Dezembro de 2019

Firmino Júnior: Feliz vida de criança!

Foto: Divulgação

Outubro para mim é um mês doce e alegre, afinal, é o mês das crianças. O nome criança parece carregar consigo uma aura de serenidade, de alegria e de muita, mas muita pureza. Não é de graça, que “menino” vem do nome latino puer e que nos dá ainda hoje a noção de pueril, ou seja, aquela fase que compreende a infância e a inocência. Contudo, duas questões me encucam sempre: Por que deixamos essa pureza para trás? Seria isso realmente necessário para sobrevivermos?

É engraçado como eu tenho um lado bem criança. Adoro chocolate, acho uma graça incrível nas vídeo cassetadas do Faustão e confesso que tenho um pouco de ciúme dos meus antigos brinquedos. Quando meus filhos estragam meus carrinhos parece que dói na alma. Pensando nisso tudo, acredito que deixamos nossa inocência de lado, porque passamos a tratar de assuntos mais complexos do que um carrinho estragado. Entretanto, creio que manter um pouco de pureza não faz mal a ninguém, pelo contrário, torna a vida mais leve e os fardos menos desgastantes.

Outro ponto interessante é que mesmo involuntariamente mantemos sempre uma parte pueril. Quando a vida está toda do avesso e o fundo do poço parece inacabável, tendemos a chorar no colo dos pais. Quando criança não era diferente. Quando caíamos, brigávamos com o coleguinha da escola ou a professora colocava de castigo, sempre íamos chorar no colo dos pais. Era inevitável! E isso, com certeza, mesmo com a chegada da fase adulta não mudou muito.

Como se pode notar, muitas coisas mesmo quando crescemos não mudam. Entretanto, há pessoas que mantiveram ainda mais esse espírito infantil. E são a essas pessoas e a todas as crianças do mundo que desejo uma "Feliz vida de criança!'. Elas merecem não só um dia, mas uma vida toda de presentes e felicitações. Ser criança, viver criança e envelhecer criança é uma dádiva, um presente dos deuses, como diriam as antigas civilizações.

Dessa forma, respondendo as perguntas acima propostas, creio que manter a criancice nada mais é que sabedoria. Ser puro, tranquilo, alegre e inocente são provas de que você se tornou um adulto de bem e muito perspicaz. Inocência e perspicácia se complementam e não se excluem. Aproveite seu espírito infantil e viva muito mais anos do que todos aqueles que se dizem espertos e muito crescidos.

FIRMINO JÚNIOR, bambuiense, é professor na PUC Minas e no Instituto Federal, também jornalista e escritor, tem mestrado na área de Comunicação. Contato: firmino.junior@yahoo.com.br. Colaborou nesta coluna Fernanda Carla de Oliveira.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS