• Bambuí, 14 de Dezembro de 2019

Firmino Júnior: Espalhe o bem sem miséria!

Foto: Divulgação

“Faça o bem sem olhar a quem”, já dizia um dos muitos provérbios que correm por aí. Mas que tipo de bem seria esse? Afinal, cada um tem necessidades diferentes! Uns, por exemplo, precisam de carinho, outros de amor, outros de paz. Umas pessoas precisam mesmo de coisas palpáveis, tipo comida, atendimento médico, um teto para viver, um cobertor para esquentar do frio. Mas e você, do que precisa?

Nota-se que são muitas as necessidades que nós, seres humanos, precisamos para viver. As necessidades básicas, e como o próprio nome já diz – básicas, são essenciais para a sobrevivência do corpo. Todo mundo precisa de água, de comida, embora isso ainda falte para muita gente. Mas e do sofrimento, das doenças da alma, da tristeza; será que os tem mais têm dado aos que têm menos? Será que suprir somente as carências básicas é necessário para tornar a vida do outro mais feliz?

Pois bem. Pensemos com carinho. Quando você está triste, comer resolve o problema? Para mim não e creio que para muitos outros também não. Ele se ameniza, não diria resolve totalmente, quando alguém me diz palavras bonitas, liga ou mesmo me visita para saber se tenho passado bem, e assim, o mundo parece se encher de paz novamente. E é isso que muitas vezes alguém precisa. Palavras doces, um sorriso que encanta, um abraço apertado e cheio de ternura, um cafuné ou um ombro para chorar. Isso pode não resolver todos os problemas, mas com certeza dará força e muita garra para vencer os obstáculos.

Lendo tudo isso até aqui, agora é hora de saber: Você fez algum bem hoje, essa semana ou esse mês? Fazer o bem é mais que dar uma moedinha a um pedinte ou comprar um pão. Claro que isso ajuda, mas não resolve. Procure dar atenção às pessoas que te rodeiam e as que precisam de ajuda, pois, muitas vezes cinco minutos de conversa podem valer mais que todos os bens materiais do mundo. “Fazer o bem sem olhar a quem”, é aceitar do próximo, ter paciência com os necessitados.

Assim, espero que você, eu e o mundo em geral, façamos o bem uns pelos outros. Pois, se dermos um pouco de atenção, um gesto de carinho a quem precisa, a paz que nós buscamos e que o mundo clama desesperadamente surgirá antes mesmo do que imaginamos. Pense nos outros, ajude o próximo, e dessa forma você e o mundo se sentirão bem!

FIRMINO JÚNIOR, bambuiense, é professor na PUC Minas e no Instituto Federal, também jornalista e escritor, tem mestrado na área de Comunicação. Contato: firmino.junior@yahoo.com.br. Colaborou nesta coluna Fernanda Carla de Oliveira.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS