• Bambuí, 14 de Dezembro de 2019

Firmino Júnior: Tempo bom, tempo ruim

Foto: Divulgação

Hoje eu quero falar do tempo. Aí que está. Todo mundo deve ter se perguntado quando leu a primeira frase desse artigo se eu ia comentar do frio, da chuva, ou melhor, da falta dela, ou mesmo da umidade do ar. Só posso dizer que não entendo nada disso e mal entendo alguns termos que aparecem nas previsões do tempo, tipo “zona de convergência do Atlântico Sul”. Espero que muitos compartilhem do mesmo problema.

Quando me refiro a falar de tempo é pensando melhor em que tempo vivemos hoje. Provavelmente os mais velhos se lembram de que muitas previsões antigas, diziam que em 2014, ou antes disso, as tecnologias já estariam bem mais avançadas do que as que temos hoje e o mundo já teria acabado umas três vezes, pelo menos. 

Mas agora pensemos bem como está o tempo em que vivemos. Eu não sei se só eu observo, mas tem acontecido tanta barbaridade que as previsões de avanços com robôs e a cura do câncer estão frustradas, mas a do fim do mundo parece que não. É mãe matando filho, filho matando pai, namorado esfaqueando namorada e olha que eu nem citei as inúmeras quedas de aviões, assaltados incontáveis e mortes por “bala perdida”. Talvez esse seja o famoso fim do mundo, bem diferente do que muitos acreditavam. Nada de desaparecimento da Terra em questões de segundos.

Uma questão maior após esse panorama é entender onde nós, seres humanos, queremos chegar com tudo isso. Hoje em dia a gente tem acesso a tudo, com rapidez e praticidade. Viaja-se com muito mais facilidade, as crianças tem mais brinquedos. Em contraponto, não se tem segurança e talvez falte amor e respeito pelo próximo. E esse é o nosso tempo. "Tempos modernos", diria Carlitos.

Cada um vive um tempo, cada um tem um problema, cada um tem uma vida, mas talvez fosse mais fácil resolver tudo com tranquilidade e amor, e assim, nosso tempo, seria um tempo conjunto de muita felicidade e harmonia. Protestemos por tempos mais saudáveis, mais alegres, mais pacíficos! E o que fazemos?

Já dizia Arnaldo Jabor que “você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais”. Creio que seja bem isso mesmo. O tempo em que estamos vivendo é um tempo de falta de tempo, no qual todo mundo tem prioridades que muitas vezes não incluem o "ser feliz".

E é isso que eu penso sobre o nosso tempo. Aproveite o seu tempo, o tempo que você tem aqui na Terra. O tempo de amar, de encantar, de ser feliz e aproveitar cada momento, pois, quando ele passar, você poderá perceber como ele era curto e ainda sim não recebeu seu devido valor. Dê tempo ao tempo só para curar feridas e mágoas, mas em outros aspectos, aproveite cada tempinho do seu dia com muita serenidade.

FIRMINO JÚNIOR, bambuiense, é professor na PUC Minas e no Instituto Federal, também jornalista e escritor, tem mestrado na área de Comunicação. Contato: firmino.junior@yahoo.com.br


Compartilhe:

COMENTÁRIOS