• Bambuí, 14 de Dezembro de 2019

Firmino Júnior: Uma grande família

Família é uma palavra interessante. Antigamente remetia a laços sanguíneos, hoje nem tanto. Faz parte da família aquele que cresce por perto, desde aquele vizinho que te empresta açúcar até aquele irmão que você viu umas poucas vezes e que mora longe. Creio eu que o conceito de família tem se ampliado. Repare bem. Todo mundo tem aquele amigo que você considera como irmão, logo se torna da família. Aquele namorado que é bem legal, mas que não deu certo e ainda sim ele frequenta sua casa. É da família. Aquele primo distante que já nem é considerado primo pela escala familiar e que esconde cada segredo cabeludo seu e que não conta nem através de tortura. Mais família. Aquele professor que te incentiva a não parar os estudos e que se oferece para estudar com você. Isso também é família.

Ah! Família é bom demais. Fora mãe, pais, irmão, avós, tios, filhos, esse básico mesmo, a gente ainda tem tanta família. Se mudarmos de cidade, a gente arruma famílias que nunca imaginaríamos. Vizinhos e amigos que fazem a sua mudança ser bem menos dura. Se entrar numa faculdade ou trabalho novo, você cria laços tão fortes quanto o de uma família. É uma convivência diária, desgastante muitas vezes, mas muito gostosa.

Não se deve pensar que família é só alegria. Ser de uma família também é difícil e acredito que todo mundo já está careca de saber, pois muita gente já passou por problemas familiares. Família, termo que tenho considerado aqui um grupo de pessoas que se preocupam com o bem-estar um dos outros, com ou sem laços sanguíneos, não é fácil não. Tem briga, divergências de opiniões, choro, mágoa, mas que no fim tudo acaba com um grande churrasco e muita cerveja. Isso é família. É aceitação, perdão, amor, carinho, amizade, todo e qualquer sentimento bom que somos capazes de sentir.

Ressalto que família não é só a mãe que coloca no mundo, mas é também aquela que cria com amor e dedica a você toda a vida. É o pai que mesmo estressado ou mesmo não sendo seu pai biológico, te pega no colo e faz brincadeiras até que você durma. É aquela senhorinha que mesmo não sendo sua avó “oficial” te ampara em todos os momentos e faz sempre bons pães de queijo e doce de leite para você comer. A vida é bem isso. Uma grande família.

A família é o tipo de coisa que muitas vezes não nasce com você, mas que é construída. Construída através de respeito e muito amor. É família aquelas pessoas que te fazem bem, que te apoiam, que sorriem para você. Que acalmam o seu coração e que dão o colo para que você descanse. Família é bem mais que morar na mesma casa ou ser designadas por nomes como pai, mãe, primo, avô.

Eu adoro família grande e quero sempre ampliar a minha ainda mais. Família grande é sensacional. Almoço de domingo com a casa cheia, natal e demais datas comemorativas na maior badalação familiar é tudo o que eu mais gosto. Família é a base, é para onde você corre, é quem te dá toda a sustentação. É como uma casa mesmo, sem uma boa estrutura não aguenta nem uma chuvinha. Família é exatamente nosso sustentáculo. Não importo como ela foi formada, não importa que ela cresça com frequência e não importa que ela viva entre trancos e barrancos. O importante é tê-la e valorizá-la, pois nada é melhor que uma “família unida e também muito ouriçada”.

FIRMINO JÚNIOR, bambuiense, é professor na PUC Minas e no Instituto Federal, também jornalista e escritor, tem mestrado na área de Comunicação. Contato: firmino.junior@yahoo.com.br


Compartilhe:

COMENTÁRIOS