• Bambuí, 10 de Dezembro de 2019

Polícia verifica “represamento” do Rio Paranaíba e aguarda documentação após vídeo viralizar

Foto: Farley Rocha/Patos Hoje

Um vídeo mostrando um possível “represamento” do Rio Paranaíba viralizou nessa terça-feira (15) nos aplicativos de mensagens. A Polícia Militar de Meio Ambiente tomou conhecimento e foi verificar a situação nessa terça. No local, os policiais constataram que houve uma manutenção no local, mas a situação é antiga e notificou o proprietário para apresentar toda a documentação.

O Sargento Radamés da Polícia Militar de Meio Ambiente confirmou que foi até o local para verificar se houve algum crime ambiental. O suposto represamento se encontra em uma propriedade no Município de Rio Paranaíba, região conhecida como Olhos D’água, a cerca de 10 quilômetros da cidade.

De acordo com o policial, a situação em que se encontra o Rio Paranaíba, com várias pedras no seu interior, vem desde 2002 e que o dono fez apenas uma reforma no local, porque houve um desmoronamento no barranco. O militar informou que o responsável não foi localizado para esclarecer o que foi realizado. No entanto, ele foi notificado para apresentar toda a documentação referente à questão ambiental.

O policial explicou que ele terá que apresentar a licença ambiental da propriedade que é produtora de soja, cenoura e outros. Além disso, também terá que fornecer a outorga d’água que neste caso, como o Rio Paranaíba é Federal, deve ser concedida pela Agência Nacional de Águas- ANA. Caso haja alguma irregularidade, a ocorrência será feita e encaminhada para a Polícia Civil e Ministério Público. Ele pode responder criminalmente e também ser multado.

O vídeo

O vídeo mostra uma pessoa indignada com o “represamento” do Rio Paranaíba. “Olha o que eles fizeram com o Rio Paranaíba”, diz. O autor do vídeo fala que o proprietário do imóvel represou o Rio Paranaíba para retirar água para pivôs de irrigação. Peixes tentam voltar no rio, mas acabam presos nas pedras.

O Rio Paranaíba

O Rio Paranaíba nasce na serra da Mata da Corda, no município de Rio Paranaíba, no estado de Minas Gerais na altitude de 1 148 metros. Ele banha várias cidades da região, inclusive Patos de Minas. Após percorrer 1 170 quilômetros, junta-se com o Rio Grande, formando, então, o Rio Paraná. Seu curso tem aproximadamente 1 170 quilômetros, até a junção ao rio Grande, onde ambos passam a formar o rio Paraná, no ponto que marca o encontro entre os estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. A partir dos municípios de Coromandel e Guarda-Mor, o rio Paranaíba forma a divisa natural de Minas Gerais com Goiás e, já próximo de sua foz, de Minas Gerais com Mato Grosso do Sul.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS