• Bambuí, 14 de Outubro de 2019

Polícia prende sete pessoas em Formiga, Pimenta, Arcos, Samonte e Lagoa da Prata por suspeita de caça de aves

Foto: Reprodução

Sete pessoas foram presas e vários mandados de busca e apreensão foram cumpridos durante a Operação "Fauna I”, realizada em 12 municípios do Centro- Oeste de Minas Gerais, entre os dias 19 e 21 de agosto. As prisões e apreensões de pássaros ocorreram nos municípios de Formiga, Pimenta, Arcos, Santo Antônio do Monte e Lagoa da Prata.

Cerca de 56 aves foram apreendidas na ação, incluindo canário da terra, pássaro preto e azulão. Os militares apreenderam também 43 alçapões e armadilhas para captura de pássaros. Foram aplicados mais de R$ 200 mil em multas.

As guarnições policiais lotadas no 2º Pelotão Polícia Militar de Meio Ambiente de Formiga, percorreram 46 propriedades rurais com o objetivo de prevenir e reprimir os crimes e infrações ambientais relativas à fauna silvestre brasileira.

De acordo com a corporação, as penalidades administrativas decorrentes da manutenção irregular de animais são estabelecidas no estado de Minas Gerais, por meio do Decreto 47.383/2018. A multa aplicada é de R$ 1.077 e, nos casos relacionados a animais contidos nos anexos da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção, o valor é acrescido de R$ 10.779 por animal.

A polícia explica que se uma pessoa mantém em cativeiro irregular uma maritaca, a multa mínima aplicada terá o valor de R$11.857,56. No caso de dois papagaios, o valor mínimo será de R$ 22.637,16 e assim sucessivamente, conforme a quantidade de animais sob a posse irregular.

A polícia ressalta que não há possibilidade de regularização de animais silvestres que foram retirados do habitat, sem a prévia autorização do órgão ambiental competente.

Os animais apreendidos estão no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Belo Horizonte e serão soltos no habitat natural.

As pessoas presas foram ouvidas e liberadas.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS