• Bambuí, 23 de Julho de 2019

Em noite de Jesus, Brasil vence a Argentina no Mineirão e avança à decisão da Copa América

Salve, Jesus! Com grande atuação de seu camisa 9, o Brasil venceu a Argentina por 2 a 0, na noite dessa terça-feira (2), no Mineirão, e está classificado para a final da Copa América.

Com um gol e uma assistência para Roberto Firmino, o atacante Gabriel Jesus foi o destaque do triunfo brasileiro.

A Argentina, liderada por Lionel Messi, chegou a acertar a trave de Alisson em duas oportunidades, mas não conseguiu furar a boa marcação da defesa brasileira e vai ver aumentar o jejum de 25 anos sem títulos.

Embalado pela vitória sobre o maior rival, a Seleção agora aguarda o vencedor de Chile e Peru, que duelam nesta quarta-feira, para saber o adversário na decisão do torneio, que será disputada no próximo domingo, às 17h, no Maracanã.

Um dia antes, os Hermanos disputam o terceiro lugar, às 16h, na Arena Corinthians.

Outro destaque da noite foi a renda no Mineirão. Os mais de 52 mil pagantes geraram uma receita de R$ 18.744.445,00, a maior da história do estádio.

Sob os gritos de “Olé”, os comandados de Tite agora buscam o título que não vem desde 2007, para selar a paz com o torcedor brasileiro.

O jogo

Como era esperado, o duelo entre Brasil e Argentina começou muito tenso no Mineirão.

Logo no primeiro minuto, Casemiro lançou Roberto Firmino, que finalizou barra boa defesa de Armani. O auxiliar, no entanto, assinalou impedimento do atacante do Liverpool.

Aos oito minutos, a primeira confusão do jogo. O lateral-esquerdo Tagliafico recebeu cartão amarelo após fazer uma falta dura em Gabriel Jesus. O lance gerou a ira dos jogadores brasileiros, que foram tirar satisfação com os argentinos e com o árbitro da partida.

Três minutos depois, a primeira chance clara de gol. O volante Paredes arriscou de fora da área, e a bola passou rente ao ângulo direito de Alisson. Que perigo!

O gol brasileiro veio aos 18 minutos. E que golaço. Daniel Alves deu um lençol em Acuña, passou por Paredes e serviu Firmino. O camisa 20 do Brasil tocou de primeira para Gabriel Jesus, que, de dentro da pequena área, bateu firme, estufando as redes de Armani.

A equipe comandada pelo técnico Scaloni respondeu aos 29 minutos. Messi cobrou falta pela direita, Agüero subiu mais alto que a defesa e cabeceou no travessão de Alisson. Na sobra, a defesa brasileira afastou o perigo.

Segundo tempo  

Atrás do marcador, a Argentina iniciou o segundo tempo tentando assumir as principais ações ofensivas do jogo.

Aos oito minutos, após jogada de Agüero e Messi, a bola fica com De Paul, que bateu forte, mas a bola passou por cima do gol de Alisson.

O Brasil respondeu dois minutos depois. Daniel Alves serviu Gabriel Jesus, que escorou para Phillipe Coutinho. O meia do Barcelona dominou e bateu para fora.

No lance seguinte, outro susto para a defesa brasileira. Em contra-ataque, Lautaro Martínez tenta o chute, a bola sobra para Messi, que finaliza na trave direita da meta brasileira.

Aos 19 minutos, Daniel Alves fez falta em Messi quase na risca da grande área. Na cobrança, o craque do Barcelona cobrou no ângulo, e Alisson fez boa defesa.

O segundo gol do Brasil veio aos 25 minutos. Gabriel Jesus, grande destaque da partida, pegou a bola no meio-campo, passou por três marcadores e serviu Roberto Firmino, que só empurrou para as redes.

FICHA DO JOGO

BRASIL 2 X 0 ARGENTINA

MOTIVO: semifinal da Copa América

LOCAL: Estádio Mineirão

ARBITRAGEM: Roddy Zambrano, auxiliado por Christian Lescano e Byron Romero, todos equatorianos

VAR: Leodán González (Uruguai)

CARTÕES AMARELOS: Daniel Alves e Allan (Brasil); Tagliafico, Acuña, Foyth, Lautaro Martínez (Argentina)

GOLS: Gabriel Jesus aos 18 minutos do primeiro tempo, e Roberto Firmino, aos 25 minutos do segundo tempo, para o Brasil

PÚBLICO: 52.235 pagantes

RENDA: R$ 18.744.445

 

BRASIL

Alisson; Daniel Alves, Marquinhos (Miranda), Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro e Arthur; Philippe Coutinho, Gabriel Jesus (Allan) e Everton (Willian); Roberto Firmino

Técnico: Tite

 

ARGENTINA

Armani; Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico (Dybala); Paredes, De Paul (Lo Celso) e Acuña (Di María); Messi, Agüero e Lautaro Martínez

Técnico: Lionel Scaloni


Compartilhe:

COMENTÁRIOS