• Bambuí, 23 de Outubro de 2019

Divinopolitano é carbonizado em São Sebastião do Oeste

Foto: Reprodução

Mais um divinopolitano foi assassinado. O jovem Thalisson Luan Anacleto, de 23 anos, foi localizado morto na zona rural de São Sebastião do Oeste ontem (2) à noite.

Após denúncias, as autoridades localizaram uma camionete incendiada na zona rural de Água Limpa. No interior do veículo estava o cadáver de Thalisson, completamente carbonizado.

Informações apontam que o crime ocorrera há cerca de três dias.

Até o momento, nenhum suspeito foi localizado. As motivações do crime são ignoradas.

A Vítima

Thalisson Luan Anacleto estava desaparecido desde a sexta-feira (28). Amigos compartilharam fotos suas em redes sociais pedindo para que pessoas ajudassem na localização.

O jovem era morador do bairro Santa Tereza, e saiu de casa conduzindo sua camionete, a mesma que fora incendiada pelos autores.

Informações policiais apontam que Thalisson era fortemente conhecido no meio da criminalidade. O homem possuía passagens por variados crimes, sobretudo assaltos à mão armada.

Antecedentes

Em 19/01/2017, em que Thalisson foi preso, a Polícia Civil, por meio da delegacia de furtos e roubos de Divinópolis, apresentou na tarde desta quinta-feira (19/01/2017), Tulio Rodrigues Oliveira, 20 anos, Thalisson Luan Anacleto (20 anos) e o menor I.F.S de 16 anos, esses acusados de roubos na cidade. O último teria sido na última quarta-feira (18), no bairro Antônio Fonseca, a um bar.

Segundo o delegado Dr Renato Fonseca, a equipe policial já monitorava um sítio na comunidade de Prata de Baixo, entre Divinópolis e São Gonçalo do Pará. Na noite de ontem, após mais um roubo, eles foram surpreendidos por uma viatura policial que estava em patrulhamento. Durante a fuga, o grupo abandonou o veículo (este estava em nome do pai de um dos acusados) e por meio dele chegou-se ao comparsa, que era a ligação com outro roubo na cidade e o sítio, este já monitorado pela Polícia.

Segundo o delegado, além de provas e a confissão de um deles, outras vítimas podem reconhece-los e até mesmo o modo de ação. Estes podem procurar a delegacia da polícia civil de Divinópolis.

 


Compartilhe:

COMENTÁRIOS