• Bambuí, 13 de Novembro de 2019

Rocha se solta e mata duas meninas brasileiras na represa de Yeso, no Chile

Foto: Reprodução/Wikimedia

Duas meninas brasileiras, de 3 e 7 anos, morreram nesta segunda-feira (3) no Chile, depois que uma rocha se soltou quando visitavam uma represa na cordilheira dos Andes, informaram autoridades locais. Khalida Carvalho Trabulsi Lisboa, de 3 anos, e Isadora Pereira Bringel Carvalho, de 7, acompanhavam os pais e irmãos em passeio a Santiago e outros pontos turísticos no país.

As famílias são de Bacabal, no Maranhão e mantinham laços de amizade há anos. As duas crianças estudavam na mesma escola na cidade. A mais nova é filha do médico Jorge Trabulsi, primogênito do ex-prefeito de Dr. Lisboa com a ex-deputada estadual e atual vice-prefeita, Graciete Trabulsi. Já a menina de 7 anos é filha do casal de médicos Marcelo e Slavya Bringel.

As crianças faziam um passeio pela represa de Yeso, 100 km a leste de Santiago, quando a rocha se desprendeu em um setor com acesso restrito a visitas.

"Foi um acidente lamentável. Ocorreu este grande desprendimento, atingido as pequenas", disse à imprensa Mireya Chocair, governadora da Província Cordillera.

A menina de 3 anos morreu na hora e sua irmã foi levada a um centro de assistência, mas não resistiu aos ferimentos provocados pelas pedras que caíram sobre ela.

O local onde ocorreu a tragédia devia estar fechado para turistas, mas por causas que ainda são investigadas, as barreiras estavam levantadas, segundo a imprensa local.

A represa de Yeso é uma das atrações mais visitadas por turistas que chegam à capital chilena no inverno para ver a neve.

Em outro acidente com turistas brasileiros, há dez dias seis pessoas da mesma família morreram em um apartamento de Santiago, intoxicados por monóxido de carbono.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS