• Bambuí, 23 de Outubro de 2019

Manifestação na Praça da Liberdade reúne milhares de pessoas em apoio a Jair Bolsonaro

Foto: Reprodução

A Praça da Liberdade na região Centro-Sul de Belo Horizonte foi tomada na manhã deste domingo (26) por manifestantes vestidos em verde e amarelo favoráveis ao governo de Jair Bolsonaro (PSL). As principais causas defendidas são a Reforma da Previdência, o pacote anticrime de Sergio Moro e o apoio às medidas propostas pelo presidente da República. Protesto pr´-governo acontecem ainda em outras cidades brasileiras. 
 
As pautas estampam várias faixas de protesto, como a do publicitário aposentado Geraldo Trindade, que trazia os tópicos "Pacote anticrime, voto nominal da MP 870, Reforma da Previdência, Lava Toga". Trindade defendeu que Bolsonaro seja mais enérgico no governo e faça valer sua vontade de implantar as medidas prometidas durante a campanha. "Está maravilhoso aqui. É a terceira vez que venho em manifestações como esta e hoje é o dia mais cheio. Temos que ter sempre manifestações como esta para demonstrar nosso apoio ao presidente", afirmou.
 
Vários movimentos reuniram pessoas pró-governo na praça, entre eles o Patriotas. Júlio Hubner, um dos fundadores do grupo, afirmou que os ativistas sempre lutaram por um país melhor. "A gente vê que, hoje, o Congresso Nacional está defendendo pautas dos próprios políticos ao invés de defender os interesses do povo. Por isso estamos aqui, nós acreditamos que o Brasil precisa de uma nova previdência e acabar com o crime organizado dentro do próprio meio político. Por essa razão somos a favor do pacote anticrime do ministro Sérgio Moro", defendeu.
 
Pelo menos três trios carregavam organizadores dos movimentos, que discursavam sobre as reivindicações do protesto. Em um deles, o organizador chegou a afirmar que 15 mil pessoas participavam da manifestação. A PM não fez estimativa do público.

O pastor Gilson Duarte também defendeu a Reforma da Previdência e afirmou que como qualquer brasileiro, quer um Brasil melhor. "Eu não votei em centrão, eu não votei em bloco, eu votei em um candidato pra me representar, e quem é presidente do Brasil é Jair Messias Bolsonaro e não a Câmara. Queremos um Brasil melhor e sabemos que é o que o presidente também quer", afirmou.
 
O administrador de empresas Carlos Renato Quadros, 63, contou que a manifestação é uma grande oportunidade de externar seu patriotismo e indignação pelo que o Brasil está passando. "Fui criado nesse ambiente do militarismo, com respeito a pátria, à ordem, à família, e essa é a oportunidade que eu encontrei para demonstrar meu apoio ao Bolsonaro", contou.
Os manifestantes vestem roupas verde e amarelo, camisas da Seleção Brasileira de futebol, e carregam bandeiras e balões. Uma bandeira do Brasil gigante foi estendida pelos manifestantes. Os presentes cantaram o hino nacional algumas vezes. Ambulantes aproveitam o protesto para lucar e vendem camisas em apoio a Bolsonaro, bandeiras do Brasil e faixas com a hastag "Ele sim" e dizeres como "É bom Jair se acostumando". 


Compartilhe:

COMENTÁRIOS