• Bambuí, 15 de Dezembro de 2019

Vale admite alto risco de rompimento de mais três barragens em Minas; sirene é acionada

Foto: Reprodução/Google Earth

A mineradora Vale admitiu na noite desta quarta-feira (27) o risco iminente de rompimento de mais três barragens em Minas Gerais. De acordo com nota da empresa, após nova vistoria, foi elevado de 2 para 3 o nível das barragens B3/B4, da mina Mar Azul, no distrito de São Sebastião das Águas Claras, também conhecido como Macacos; além das barragens Forquilha I e III, na mina Fábrica, em Ouro Preto, na região Central de Minas.

Isso significa, na prática, que as barragens estão em alerta máximo para risco de rompimento, que pode acontecer a qualquer momento. Como medida protocolar, a sirene foi acionada no distrito de Macacos por volta de 22h30 desta quarta. Já em Ouro Preto, por se tratar de uma zona rural já evacuada, as sirenes não foram acionadas.

Segundo a assessoria de imprensa da Defesa Civil de Minas Gerais, uma reunião está sendo realizada para tratar do assunto e detalhes serão informados em coletiva de imprensa que acontece na capital ainda nesta noite.

“Por enquanto o que temos é uma boato circulando pelas redes sociais e as pessoas estão com medo, mas estou aqui na reunião no centro comunitário esperando uma posição de um órgão oficial”, explicou Raul Franco, presidente da associação de moradores de Macacos.

A Vale, porém, confirmou em nota esse aumento do risco de rompimento das barragens. Segundo a empresa, como medida de segurança, as sirenes nas zonas de autossalvamento dessas estruturas serão acionadas "seguindo o protocolo para início do nível 3 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM)".

A empresa lembra, porém, que os moradores destas zonas nas três barragens já haviam sido evacuados das áreas e que "nesse momento não há necessidade de novas evacuações. A população deve manter a rotina normal, permanecendo atenta aos chamados de emergência", diz a nota.

Ainda de acordo com a Vale, a medida de elevação de risco para as barragens foi tomada após auditores independentes informarem à empresa que não emitiriam as Declarações de Condição de Estabilidade desta barragem.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS