• Bambuí, 18 de Agosto de 2019

Galo perde para o Juventude, mas arranca classificação nos pênaltis

Foto: Reprodução

Que sofrimento, que dificuldade para o Galo avançar à semifinal da Copa do Brasil! Um gol tomado aos 30 segundos, 90 minutos de drama mas, com são Victor na cobrança de pênaltis, o Atlético segue firme na luta do bicampeonato da competição.

Depois de vencer o jogo de ida, no Mineirão, por 1 a 0, o alvinegro perdeu em Caxias do Sul para o surpreendente Juventude pelo mesmo placar mas, na disputa de pênaltis, prevaleceu a experiência alvinegra sobre o time da Série C do Brasileiro: 4 a 2, com duas defesas do camisa 1 do Galo.

O Atlético não participava de penalidades desde a final da Libertadores de 2013, quando se sagrou campeão sobre o Olimpia-PAR. O time mineiro chega à semifinal da Copa do Brasil pela quarta vez na história do torneio. As outras aconteceram em 2000, 2002 e 2014.

O Internacional será o adversário do Atlético na luta por uma vaga na decisão. Depois de perder o primeiro jogo por 2 a 1, a equipe gaúcha venceu o Santos, em Porto Alegre, por 2 a 0, e também se qualificou.

Marcelo Oliveira montou um time mais precavido, com três volantes, tendo Urso mais aberto. Mas qualquer estratégia foi por terra logo aos 31 seg. Esse foi o tempo que Hugo precisou para abrir o placar para o time da casa. Incrível a desatenção!

O gol cedo deixou a equipe gaúcha atiçada. O Atlético, aos poucos, conseguiu impôr seu jogo, criando oportunidades, mas pecando nos arremates. O goleiro Elias, o nome do jogo, pegou o que chegou. O perigo estava nos contra-golpes do Juventude, sempre rápidos. Em um deles, Hugo, em posição legal, passou por Victor, rolou para as redes, mas o árbitro assinalou impedimento.

Para o segundo tempo, Marcelo colocou Clayton no lugar de Rafael Carioca, mas o Atlético não evoluía o esperado, confuso em campo. O Juventude, por diferentes momentos, esteve próximo do segundo gol.

No alvinegro, cruzamentos e chutes de longe eram a toada. Com Cazares no jogo, a expectativa era de mais criatividade. O volume ofensivo aumentou, o time até que pressionou, Clayton perdeu uma chance incrível aos 44 min, mas as cobranças de pênaltis foram inevitáveis.

Nas cobranças, brilhou a estrela de Victor, que pegou as cobranças de Wallacer e Roberson. Fábio Santos, Lucas Pratto, Gabriel e Cazares marcaram para o Galo. Hugo e Sananduva fizeram os únicos gols da equipe de Caxias.


Compartilhe:

COMENTÁRIOS